Virtualidades


Boas notícias para Freitas e companhia…

Está hoje em toda a imprensa a informação de que a violência doméstica subiu 17%...mais um passo no nosso caminho para uma democracia melhor…ao estilo da iraniana!
Agora só falta começar a massificar estas buscas às redacções dos jornais, rádios ou TV´s para, ao estilo de Cuba, termos uma democracia perfeita (Jerónimo dixit).

14 Responses to “”

  1. # Blogger Marcos Couto

    ora ja ca faltava a colagem... os PPD's estão tao modernos, tiques BE quase, não?
    Não conheço nenhuma sociedade onde não exista violência doméstica... agora o porque dessa violência? tem alguma coisa a ver com democracia?
    mas também temos aqui um sociologo que nos poderá dar uma ajuda nesta questão... Nuninho lanço o repto... manda ai a tua opinião especializada... acho que poderá dar uma boa discussão  

  2. # Blogger Miguel M. Ferreira

    Violência doméstica existe em todas as sociedades, isso é indiscutível. Agora, existe mais numas que noutras. E a violência a que me refiro não é só fisica.  

  3. # Blogger Nuno Gouveia

    Portugal, apesar de ser conhecido como um país de brandos costumes, é de facto um país muito violento. Os níveis de violência doméstica são de facto assustadores e nem sempre são associados a fenómenos de álcool ou de pobreza. Está provado que existe violência doméstica em famílias de nível elevado económico. Não tenho dados suficientes para comentar esta temática, mas a verdade é que a violência doméstica existe em todas as sociedades. Em algumas, como a nossa, existem estudos sobre a matéria, e também organizações que apoiam as vitimas e as tentam proteger. Um estado de direito preocupa-se com a violência doméstica, e existe legislação própria sobre a matéria.
    A verdade é que temos falado aqui muito sobre os países muçulmanos, e nestes, o nível de violência sobre as mulheres existe num nível muito superior ao nosso. Mas nestes casos, o Estado não protege as mulheres, mas sim é dinamizador da violência, física ou psicológica, exercida sobre a mulher, um ser inferior na cultura deles.
    Nós, em Portugal, temos que defender o trabalho meritório de algumas organizações, privadas e estatais, que tem estudado e combativo a violência.  

  4. # Anonymous Anónimo

    Os últimos 2 posts referem de forma directa ou indirecta, a democracia e os valores inerenetes a uma democracia, fala-se de violência (doméstica e n doméstica) de liberdades e garantias...Mas indicam-se sempre as democracias de esquerda como sendo estas as "ovelhas ranhosas". Para as pessoas que defendem estas ideias, e concrectamente para o Miguel Ferreira, aconselho uma análise aprofundada sobre a Prisão (política, tirana e ilegal) de Guantanamo...
    Alguns senhores parecem ter o umbigo na testa!!

    Abraço  

  5. # Blogger Miguel M. Ferreira

    Caro anónimo,
    Não considero que as "democracias de esquerda" sejam as "ovelhas ranhosas". Também há seguramente "democracias de direita" nessa situação. No entanto este post foi sobretudo originado pelas últimas intervenções de Freitas e Jerónimo...
    Falas em Guantanamo e tens razão...eu também penso que é uma forma inadmissivel de luta contra o terrorismo. Tambem desprezo o que se passará em Guantanamo ou noutras prisões secretas (ou mesmo nas não secretas).
    Apenas peço que não confundam uma critica a determinado facto com o apoio a outros. Se critico o facto X não significa que apoio o facto Y.
    E eu critico claramente as intervenções referidas no post!  

  6. # Blogger Nuno Gouveia

    Gostava de saber quais as democracias de esquerda ou de direita? Para mim, as democracias não tem ideologia. Diga um exemplo, se faz favor de uma democracia de direita? ou de esquerda?  

  7. # Anonymous Anónimo

    Para bom entendedor meia palavra basta...Quando referi democracias de esquerda e de direita, referia-me a democracias que neste momento têm governos de direita ou de esquerda. Mas peço desculpa, provavelmente não me fiz entender.  

  8. # Blogger Marcos Couto

    entao existe uma so democracia Nuno?  

  9. # Anonymous João Ribeiro

    Se me falarem em ditaduras de esquerda ou em ditaduras de direita concordo com a divisão, mas penso que não se pode fazer essa distinção quando falamos em democracia. Como disse o Nuno, não há ideologias numa democracia. Os governos que são eleitos democraticamente é que têm ideologias. E penso que existe uma só democracia. O que pode variar é o modo como ela é exercida.  

  10. # Anonymous acp

    É óbvio qie uma democracia digna desse nome não pode ser de direita ou de esquerda. a democracia baseia-se excatamnte na alternancia de esquerda direita. só pessoas não verdadeiras democratas concebem democracias de ideologia única (como cuba)  

  11. # Anonymous João Ribeiro

    ACP, há uma parte do teu comentário que não concordo. Uma democracia não se pode basear numa alternância entre direita e esquerda. Não quererias dizer que se baseia na possibilidade de escolha entre esquerda e direita, entre diferentes ideologias? Para mim essa alternância tornar-se-ia um autêntico ciclo vicioso...  

  12. # Anonymous Anónimo

    Acho que já alcancei o ónus da questão... Algumas sugestoes, e passo a enumerar:
    - Existir um sistema de mercado livre, de preferência sem qualquer tipo de intervenção estatal, com a aglutinação de pequenas empresas por parte das empresas com maior impacto nas áreas respectivas, de preferência com grande articulação entre capital produtivo e financeiro.
    - O estado não tiver qualquer tipo de responsabilidade no plano soical. Pensões asseguradas por seguradoras, SNS com suporte dos custos por parte dos utilizadores, sistema de ensino com gratuitidade até ao 9º ano. A partir daí, o ensino é um luxo, portanto pague-se.
    - Despesas do Estado: orçamento militar, forças de manutenção da ordem, regulação do mercado ( não muito).
    - Receitas: impostos ( baixos sobre as empresas), e taxas provenientes do sistema utilizador-pagador onde ainda existir.
    - Existência de pluralismo partidario, mas de preferencia so com dois partidos ( criacao de circulos uninominais de forma a que exista maior transparencia e ligacao aos eleitores)
    - Orgaos de comunicacao social totalmente privatizados ( para não haver intromissoes do estado), garante da liberdade de imprensa.
    - Todas as liberdades civicas, excepto claro está no caso de perigo iminente de atentados contra os cidadaos ( vulgo terrorismo), onde todas as liberdades podem ser cerceadas.
    - Diminuição de poder dos sindicatos, e em nome da liberdade negocial alteraçoes laborais de forma a não haver regalias para os trabalhadores, colocando empregadores e colaboradores no mesmo patamar.

    ASsim mesmo, nem democracias de direita nem de esquerda. Democracia pura...
    Liberdade acima de tudo  

  13. # Anonymous Anónimo

    Ao contrário do meu colega/companheiro/camarada anónimo, eu não perfilho desta ideia de democracia. Estou mais de acordo com um sistema onde exista um só partido, de preferência de esquerda, onde os seus opositores sejam apelidados de traidores e encarcerados, onde a imprensa seja uma fantochada, etc, etc, etc.
    Mas atenção, o sistema de saúde é dos melhores que há, e na educação nem se fala. É pena tanta gentinha com boa educação e saúde de ferro a não poder abrir a boquinha!  

  14. # Anonymous João Ribeiro

    Não consigo conceber porque é que algumas pessoas se escondem sob o manto do anonimato, mas cada um se gere do modo que melhor entende...  

Enviar um comentário

Links to this post

Criar uma hiperligação


Web This Blog

Blogues




© 2006 Virtualidades | Blogger Templates by GeckoandFly.
No part of the content or the blog may be reproduced without prior written permission.
Learn how to make money online | First Aid and Health Information at Medical Health